RETORNO TRIBUTÁRIO – INVESTIMENTO NO CIDADÃO

RETORNO TRIBUTÁRIO – INVESTIMENTO NO CIDADÃO

País está entre os que mais cobram impostos no mundo.

São Paulo – O Brasil ficou em último lugar num ranking que mede o retorno dos impostos pagos pelos cidadãos. A lista considerou os 30 países com a maior carga tributária do mundo, e comparou os impostos arrecadados com o retorno obtido com serviços como saúde e educação.

O resultado é alarmante para os brasileiros. O país ficou em 30º lugar na lista, atrás de Argentina e Uruguai, os únicos latino-americanos que também foram considerados no ranking. Detalhe: esta é a quinta vez que o país fica na lanterna. O estudo foi elaborado pelo IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação).

Para medir o retorno recebido pelos cidadãos, a carga tributária de cada país foi comparada ao seu IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), que mede a qualidade de vida e o bem-estar da população. A conta deu origem ao IRBES (Índice de Retorno de Bem Estar à Sociedade).

Com uma carga tributária de 35% do PIB, o Brasil tem um IDH de 0,744 (o índice vai de 0 a 1). Para comparação, a Austrália, primeira do ranking, tem uma carga tributária de 27,3% do PIB, e IDH de 0,933.

A lista é formada principalmente por países desenvolvidos, o que deixa o Brasil em desvantagem. Porém, ela ajuda a mostrar que nossos impostos poderiam ser melhor utilizados.

Veja na tabela a seguir o IRBES dos países considerados na comparação (os dados são de 2013):

Posição País Carga tributária sobre o PIB IRBES
Austrália 27,30% 162,91
Coreia do Sul 24,30% 162,79
Estados Unidos 26,40% 162,33
Suíça 27,10% 161,78
Irlanda 28,30% 158,87
Japão 29,50% 156,73
Canadá 30,60% 156,48
Nova Zelândia 32,10% 155,44
Israel 30,50% 155,41
10º Reino Unido 32,90% 152,99
11º Uruguai 26,30% 151,91
12º Eslovaquia 29,60% 151,51
13º Espanha 32,60% 151,38
14º Islândia 35,50% 150,25
15º Alemanha 36,70% 150,23
16º Grécia 33,50% 148,98
17º República Theca 34,10% 148,97
18º Noruega 40,80% 148,32
19º Argentina 31,20% 147,8
20º Eslovênia 36,80% 146,97
21º Luxemburgo 39,30% 144,69
22º Suécia 42,80% 141,15
23º Áustria 42,50% 141,01
24º França 43% 140,69
25º Bélgica 43,20% 140,21
26º Itália 42,60% 140,13
27º Hungria 38,90% 139,8
28º Dinamarca 45,20% 139,52
29º FIinlândia 44,00% 139,12
30º Brasil 35,04% 137,94